Capital volta a fechar comércio, indústria e construção civil

Porto Alegre volta a fechar comércio, indústria e construção civil 

Parece até que estamos repetindo a notícia, mas o fato é que Porto Alegre voltou a bater recorde de internação em UTI por pacientes com a Covid-19. O número de pacientes, que estava na casa dos 40 havia dois meses até o início de junho, passou dos 100 ontem à noite. Essa aceleração tornou fato o que era uma tendência: a Capital volta a endurecer as políticas de isolamento social.

Publicado nessa madrugada, o novo decreto do prefeito Nelson Marchezan Júnior (PSDB) devolve a Capital a uma situação de isolamento parecida àquela de março, com amplas restrições para conter o coronavírus. Comércio, indústria e construção civil deverão interromper novamente as atividades conforme cronograma estabelecido pelo Executivo.

Restaurantes, bares, lancherias, padarias e lojas de conveniência voltam a atuar somente com telentrega e pegue e leve. Nos shoppings, estão permitidos apenas serviço essenciais como farmácias, supermercados e bancos. Há, porém, flexibilizações em relação ao decreto de março. Salões de beleza e barbearias podem funcionar, com lotação máxima de 30% da capacidade e distanciamento de quatro metros entre clientes.

Pessoas com mais de 60 anos não podem circular nas áreas verdes da cidade. Aliás, quem for flagrado sem máscara ou em aglomerações em parques e locais públicos pode ter de pagar multas de até 8,6 mil reais.

Governo do Estado flexibiliza critérios – E mais uma vez, o Governo do Estado fez alterações no plano do distanciamento controlado. Em meio às sinalizações de mais restrições em Porto Alegre, os treinos dos clubes de futebol foram mantidos, desde que respeitem o critério aplicado às academias, de atividades realizadas individualmente em um espaço de 16 m². Acaba sendo um aval para que todos os times do Gauchão retomem os treinamentos, independente se suas cidades estiverem sob bandeira vermelha.

Além disso, o Piratini flexibilizou um pouco mais os critérios de cidades que estejam em áreas demarcadas como alto risco de contaminação pelo novo coronavírus. A partir de agora, municípios que estejam na bandeira vermelha, mas que não tenham registrado hospitalizações ou mortes por Covid-19 nos últimos 14 dias, poderão adotar as medidas da bandeira laranja. Leite ainda anunciou que, após revisão dos dados enviados pelas prefeituras, a região de Palmeiras das Missões retornou à bandeira laranja. Já  Porto Alegre, Capão da Canoa, Novo Hamburgo e Canoas ficarão na cor vermelha pelo menos até a próxima segunda-feira.


O que você precisa saber hoje

Há mais leitos, mas faltam profissionais – Foram 230 novos leitos criados em Porto Alegre (🔒) desde o início da crise sanitária provocada pelo coronavírus. O número considera enfermaria e UTI. Há previsão de mais 20 conforme o secretário de Saúde da Capital, Pablo Stürmer. Contudo, o combate à pandemia enfrenta um outro problema: a falta de profissionais qualificados. O Hospital de Clínicas (HCPA), por exemplo, ainda busca servidores com experiência em cuidados de alta complexidade para colocar em funcionamento 39 leitos de UTI. Vale destacar que Clínicas e Conceição concentram 57% dos pacientes com Covid-19 na Capital. Segundo Milton Berger, diretor médico do HCPA, também preocupa a manutenção dos profissionais em atividade, já que muitos acabam afastados por contraírem a Covid-19. Em Canoas, depois de 200 novos leitos inaugurados, há 190 vagas abertas para médicos, enfermeiros e técnicos.

Vereadores versus Marchezan – A já conturbada relação entre o prefeito Nelson Marchezan e os vereadores se deteriorou durante a pandemia. O desgaste se estende tanto aos parlamentares da direita e da esquerda, que avaliam que o governo dificilmente vencerá votações polêmicas neste ano. Em entrevistas ao portal GaúchaZH, os legisladores municipais disseram que o perfil impaciente do prefeito e a falta do contato diário travam a construção de consensos. Para complicar a vida de Marchezan, políticos questionam o uso das verbas publicitárias do governo. Ontem a bancada petista ingressou no Ministério Público de Contas do RS com pedido de averiguação sobre o uso do dinheiro do Fundo Municipal de Saúde para despesas em publicidade. De acordo com a denúncia, a prefeitura gastou cerca de 1 milhão de reais para propaganda sobre o aniversário de Porto Alegre. No domingo, o próprio vice-prefeito – e possível candidato – Gustavo Paim (PP) criticou no Twitter a veiculação de uma campanha publicitária no intervalo do Fantástico, que também seria de verba do mesmo Fundo.

Caetano & Chico versus Bibo Nunes – Dois dos maiores nomes da música brasileira, Chico Buarque e Caetano Veloso, vão interpelar judicialmente (🔒) o deputado federal gaúcho Bibo Nunes (PSL), por um comentário feito pelo parlamentar em um debate na GloboNews no último sábado. Nunes disse que os artistas recebiam dinheiro para apoiar os governos petistas de Lula e Dilma. Tanto Caetano como Chico irão processar o deputado por danos morais. Em um terceiro processo, Chico ainda quer que o gaúcho se retrate. 

Punição branda – Um ano, três meses e 16 dias depois, a Polícia Rodoviária Federal concluiu a investigação sobre a conduta de três policiais que demoraram 85 horas para registrar o acidente que causou a morte de Bárbara Andrielli Mendes de Moraes, 15 anos, na freeway. A colisão foi provocada por um médico que, segundo o Ministério Público, estava bêbado, mas não foi submetido ao teste do bafômetro. Segundo a PRF, os agentes não seguiram o procedimento padrão, sendo determinada suspensão de um e dois dias, além de advertência. As punições foram criticadas pelo pai da vítima

Outros links:


Cultura

Às 16h, o Instituto Ling dá início ao projeto Adaptação, que compara versões de obras para a literatura e o cinema. No primeiro encontro, o escritor Pedro Gonzaga e o jornalista Roger Lerina analisam Macbeth, de Shakespeare, e o filme homônimo do diretor australiano Justin Kurzel.

O documentário Trinta Povos, dirigido por Zeca Brito, estreia às 18h, no Canal Curta!, contando a história das missões jesuíticas no Brasil, na Argentina e no Paraguai.

Até sexta-feira, sempre às 20h20, a terceira temporada do POA2020TALKS tem Comunidades como tema, apresentando a riqueza cultural e a capacidade transformadora de grandes cidades.

Poesia em tempos de pandemia é o assunto do Sarau Elétrico, às 21h, que tem como convidados os poetas Fabricio CorsalettiMaria RezendeMarco de Menezes e canja musical da banda Blubell.

A banda Supervão, de São Leopoldo, lançou seu segundo álbum, intitulado Depois do Fim do Mundo.

E que tal aprender a fazer um podcast? A produtora Prana Filmes oferece uma oficina gratuita de dois encontros, ministrada pelo publicitário Rodrigo Zottis e pelo realizador Alexander Desmouceau, para quem deseja explorar as ondas sonoras digitais.

Mais dicas? Acesse


Você viu?

Partes de arquivos da ditadura militar do Uruguai (1973-1985) estão sendo “decifrados” com ajuda de voluntários, que fazem a leitura dos trechos para transcrevê-los. Cerca de 3 milhões de arquivos estão digitalizados em forma de imagens, como fotografias digitais, impedindo a pesquisa por palavra-chave. Danificados, alguns escritos à mão, outros datilografados com muita ou pouca tinta, não podem ser escaneados por leitores ópticos que identificam os caracteres automaticamente. Humanos ainda são indispensáveis para essa tarefa. O esforço conjunto foi batizado de Luísa (Leyendo Unidos para Interpretar loS Archivos). O nome é uma homenagem à Luisa Cuesta (1920-2018), militante uruguaia que se dedicou à busca do filho preso e desaparecido na mão dos militares.

Este texto faz parte da edição 14 da revista Parêntese, publicada em 29 de fevereiro de 2020.

A revista digital Parêntese é enviada todos os sábados aos assinantes premium do Matinal Jornalismo. 

Para receber a próxima edição, assine o Matinal. Assim você apoia o jornalismo de Porto Alegre e receba todos os nossos produtos.

Receba as newsletters do Matinal! De segunda a sexta, trazemos as principais notícias de Porto Alegre e RS. Na quinta, enviamos uma agenda cultural completa por Roger Lerina. No sábado sai a Parêntese, com reportagens, entrevistas e análises exclusivas.