Dez anos depois, plano de ciclovias não atinge 20% do projeto

Esta semana completaram-se dez anos do Plano Diretor Cicloviário Integrado de Porto Alegre (PDCI), que previa a entrega de 395 quilômetros de ciclovias até 2022. Dividido em fases, a meta era chegar até o final do ano passado com 255 km, mas a Capital conta hoje com breves 48 quilômetros – ou seja, menos de 20% do esperado para o período. E o ritmo segue lento: de janeiro até agora, saíram apenas mil metros.
A Prefeitura culpa a falta de recursos. Inicialmente, a ideia era fazer com que o dinheiro viesse da reversão de um quinto do arrecadado em multas, o que não aconteceu. Em 2014, para garantir investimentos, foi criado um Fundo Cicloviário, que hoje recebe dinheiro principalmente de contrapartidas de empreendimentos, fazendo com que a construção dependa de iniciativas privadas para ocorrer. A oposição credita a lentidão à falta de vontade política.
Ao jornal Zero Hora, o arquiteto e urbanista Ricardo Corrêa, que coordenou a elaboração do estudo que originou o PDCI, disse que plano, se implementado, faria com que mais de 20% das viagens diárias fossem feitas de bicicleta. Esta pesquisa, que traça o perfil do ciclista brasileiro, mostram que quem mais usa bicicleta é o trabalhador, e que de fato a ausência de pistas interligadas é o maior obstáculo.
Se comparado com outras capitais, Porto Alegre está muito atrás. Um levantamento feito pelo G1 há um ano, quando a cidade tinha 46 quilômetros – ou seja, pouco menos do que há hoje –, mostrava a cidade na 20º posição. No topo da lista estão São Paulo, Brasília e Rio de Janeiro, todas com mais de 450 quilômetros construídos.


Você também precisa saber

Gripe – A Secretaria Estadual da Saúde (SES) confirmou mais três mortes causadas pelo vírus Influenza, que causa a gripe, no Rio Grande do Sul. Com isso, o total de vítimas por complicações causadas pela doença no RS chega a 18. A quantidade de vítimas é 69% inferior ao contingente registrado no mesmo período de 2018, quando chegou a 58. Segundo a SES, neste ano já houve 133 ocorrências de casos graves de gripe em 49 cidades gaúchas.

Orla do Guaíba – Foi adiado em alguns dias a abertura das propostas para a revitalização do trecho 2 da orla do Guaíba. Isso porque duas empresas ingressaram com recursos tentando reverter o resultado da licitação – na qual quatro empresas foram consideradas aptas. A abertura dos envelopes estava marcada inicialmente para quarta-feira. Formalizado o processo de contestação, ontem, agora está em trâmite um prazo de cinco dias para manifestações. Depois de análise da comissão julgadora do caso, será marcada uma nova data para conhecer a vencedora da licitação.

Indústria – Após cinco meses de queda, a Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (Fiergs) voltou a registrar alta do ICEI-RS, indicador que mede a confiança dos empresários do setor. O índice passou de 55,8 para 56,1 pontos em junho. Na leitura da instituição, o número mostra que “as condições atuais seguem deterioradas” para o setor industrial no Rio Grande do Sul, mas as perspectivas são melhores para o segundo semestre, em parte com a perspectiva de aprovação da Reforma da Previdência.

Outros links:

  • Todo ano, a CEEE perde R$ 200 milhões por conta de furtos de energia – o equivalente à folha anual de salários da empresa.
  • Preocupadas com o futuro da instituição, mães de alunos prometem realizar um abraço ao prédio do Colégio Americano hoje.
  • A Prefeitura de Porto Alegre iniciou a demolição do casarão que sediou Ocupação Baronesa. Arquitetos criticaram medida.
  • Circula pela internet áudios que mostram quatro vereadores de Sapiranga negociando propina. Eles foram afastados do cargo.
  • Edital para reforma do Gigantinho será publicado hoje. Veja as imagens do projeto (🔒).
  • Nos encontre no Twitter: @newsmatinal.

Esportes

Passada a euforia das difíceis classificações na Copa do Brasil, Inter e Grêmio voltam à realidade do Brasileirão neste fim de semana. A dupla realiza amanhã o clássico Gre-Nal 421, pela 11ª rodada, no Beira-Rio. Em razão dos compromissos pela Libertadores na semana que vem, os dois times ser escalados basicamente com reservas.

Por falar em Gre-Nal, o maior símbolo esportivo gaúcho completou 110 anos nesta semana. Aproveitando o embalo, a GaúchaZH montou um infográfico com 110 personagens que marcaram o clássico ao longo da história.


Agenda

  • A banda pernambucana Eddie, uma das referências do manguebeat, faz show em comemoração aos seus 30 anos no Agulha hoje.
  • Julio Herrlein Quartetorecebe o saxofonista Diego Ferreira para uma apresentação que funde jazz e música brasileira no Espaço 373.
  • Começa nesta sexta mais uma temporada da peça O Topo da Montanha, com Taís Araújo e Lázaro Ramos, no Theatro São Pedro.
  • Domingo tem três feiras na região central da cidade: a da João Telles, a Vegana e a La Movida.
  • No domingo, o requintado Quarteto Bolling-Elias toca na Fundação Iberê Camargo. Dá para aproveitar e assistir à exposição Spider.
  • Para fechar o final de semana, o espetáculo Cássia Eller – O Musical está em cartaz no Teatro do Sesi no domingo.

Você viu?

Estreia hoje na Netflix a nova temporada de La Casa de Papel, série espanhola que virou fenômeno pop em 2017. Até quem não viu o drama sobre o grupo de criminosos que planejava roubar a Casa da Moeda acabou impactado por imagens dos macacões vermelhos, da máscara de Dali e pela melodia da canção italiana Bella Ciao, que ganhou diversas versões. Em Caxias do Sul, a série batizou até mesmo uma pastelaria, La Casa de Pastel. O pessoal do jornal O Pioneiro, aproveitou o gancho da volta da série para visitar o local, que também vende empadas, pão de queijo e bolo.