Diego Lops: 6 palavras

Este conteúdo está aberto temporariamente. Para receber a newsletter semanal e garantir seu acesso a todo nosso material exclusivo, torne-se assinante Premium.

No livro Magrafo – dicionário de palavras inexistentes listo 201 verbetes com conceitos para os quais ainda não existiam palavras. São sensações, frustrações, prazeres, enfim, experiências humanas e hábitos quotidianos que, embora conhecidos de todos, não aparecem (ainda) nos dicionários tradicionais. Abaixo, listo alguns verbetes do livro e três inéditos, feitos exclusivamente para a Parêntese:

domincolia [s.f.]
Melancolia típica de domingo, também conhecida como “deprê de domingo”.
Eliane Brum, no seu livro Meus desacontecimentos, ajuda a entender a domincolia, caracterizando assim o domingo: “[…] esse dia esgarçado em que nossas ausências gritam e o silêncio ensurdece; se o sábado é uma ilusão, o domingo tem dentes”.

ferrifélio [s.m.]
Também conhecido como “falácia proverbial”. No ferrifélio, se faz uso de um ditado popular, aforismo ou provérbio como argumento em um debate, na tentativa de encerrá-lo, mesmo que tenha valor zero como argumentação. Usar ditados pode ser tentador, pois, na sua forma breve e sucinta, parecem encerrar sapiência e bom senso. Examinando suas premissas mais de perto, porém, a maior parte deles tem pouco fundamento lógico. Um ferrifélio comum é recorrer ao ditado “Um raio não cai duas vezes no mesmo lugar. É sabido, contudo, que um raio não apenas cai duas vezes no mesmo lugar, como é mais provável que caia no mesmo lugar. Ou então “Onde há fumaça há fogo”. Muitas vezes a fumaça fica só na fumaça mesmo, podendo, por exemplo, ser a fumaça de uma árvore onde caiu um raio; pela segunda vez. 

fregato[s.m.]
Algo de errado que se fez no passado, que subitamente vem à mente na cama, à noite, causando insônia angustiante por várias horas.

machuma [s.f.]
Orgulho macho depois de conseguir abrir a tampa de um vidro de conserva para uma mulher.

Ilustração de Chris Tragante

passiquete (é) [s.f.]
Fenômeno de quando se muda a fila do carro no engarrafamento para outra que estava indo mais rápido, e a nova fila para, enquanto a fila anterior começa a andar mais rápido. O fenômeno ainda tem uma continuação, quando se volta à fila original, e se constata que a fila da qual se acabou de sair começa a andar mais rápido novamente. Dez por cento dos motoristas trocam de pista uma terceira vez, inutilmente. Não há registro de motorista que tenha trocado de pista uma quarta vez.

peranguglar [v.]
Entrar no Google Street View e ficar perambulando virtualmente por ruas de cidades em que se nunca esteve, mas que se gostaria muito de visitar.


Diego Lops é autor de Magrafo – dicionário de palavras inexistentes, Pessoas partidas e Frases Ouvidas por aí (Tomo Editorial, 2019).

Este texto faz parte da edição 14 da revista Parêntese, publicada em 29 de fevereiro de 2020.

A revista digital Parêntese é enviada todos os sábados aos assinantes premium do Matinal Jornalismo. 

Para receber a próxima edição, assine o Matinal. Assim você apoia o jornalismo de Porto Alegre e receba todos os nossos produtos.

Receba as newsletters do Matinal! De segunda a sexta, trazemos as principais notícias de Porto Alegre e RS. Na quinta, enviamos uma agenda cultural completa por Roger Lerina. No sábado sai a Parêntese, com reportagens, entrevistas e análises exclusivas.