Leite: Promessa de pôr salários em dia é “extremamente difícil”

Uma das principais promessas do governador Eduardo Leite (PSDB), a meta de pagar os salários dos servidores em dia até o final de 2019 parece estar se esvaindo. Ontem, durante reunião sobre o Orçamento 2020, considerou o objetivo como uma “missão extremamente difícil”. Uma das frustrações que leva à falta de perspectiva é a possibilidade cada vez mais remota de a adesão do Estado ao Regime de Recuperação Fiscal (RRF) ocorrer neste semestre.

Mas o pessimismo não vem só daí. De acordo com a Secretaria da Fazendao Rio Grande do Sul teve um déficit 2,27 bilhões de reais no primeiro semestre, o pior desde 2015. O governo ainda projeta que, se o cenário não mudar, o 2019 feche com um rombo de 3,84 bilhões de reais. Para especialistas, o resultado já era esperado, uma vez que ainda não houve mudanças estruturais e a economia não deslanchou. 

Apesar da dificuldade, Leite não considera a tarefa de cumprir as obrigações com a folha como impossível, e diz que o governo está pondo em prática uma série de ações para gerar mais receitas. O governador, contudo, não quis detalhar as iniciativas, por exigirem “condição de restrição de serem faladas”. Além da adesão ao RRF, o governo também vê como saída a venda de ações do Banrisul – iniciativa que, no momento, depende de autorização judicial para ser posta em prática.

Outra estratégia do governo para equilibrar a balança é apostar na mobilização política. Na mesma reunião do Orçamento, o Executivo fez questão de detalhar os números, com o objetivo de convencer não apenas o Legislativo, mas especialmente o Judiciário e outras entidades representantes de servidores, a se engajarem no projeto de expansão zero nos gastos. 

Para não esquecer: Além da promessa de pôr o salário do funcionalismo em dia até 2019, Leite também prometeu baixar impostos em 2020 e não vender o Banrisul. Neste link estão as principais bandeiras do governador durante a campanha.


Você também precisa saber

UFRGS – A Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) foi considerada a 3ª melhor universidade federal do País, segundo ranking publicado ontem pela The Center of World University Ranking (CWUE). A avaliação colocou a instituição atrás das federais do Rio de Janeiro e de Minas Gerais. Consideradas as universidades estaduais, Unicamp e USP ficam à frente – primeiro e terceiro lugar, respectivamente –, e deixam a UFRGS em sexto lugar. Quatro critérios foram considerados: qualidade da educação, empregabilidade, qualidade do corpo docente e pesquisa – e este último foi o de melhor desempenho da UFRGS. Entre as cinquenta melhores do país, também figuram UFPel, UFSM, IFRGS, PUCRS e FURG.

Prefeitura – Com vitórias relevantes no Legislativo nos seis primeiros meses do ano, o governo de Nelson Marchezan Jr. tem a expectativa de apresentar cerca de 40 projetos à Câmara para serem analisados neste segundo semestre. A meta é aprovar todos até o fim deste ano. Entre as propostas estão a que prevê mudanças na estrutura governamental, ajustes nos fundos municipais e a alteração de regras previdenciárias e de concessão de pensões.

Câmara – Só que o Executivo começou a segunda metade do ano com o pé esquerdo na Câmara. Os vereadores aprovaram ontem o projeto que cria uma espécie de “orçamento impositivo”, que, na prática, dá o direito a cada um dos 36 parlamentares a definirem onde será a aplicação de 0,65% da Receita Corrente Líquida, algo próximo de 1 milhão de reais – metade deste valor deve ser aplicada em saúde. Sem poder vetar, Marchezan criticou o projeto: “A gente realmente não esperava isso”, disse, em entrevista à Rádio Guaíba.

Cidade Baixa – Novos ares começam a tomar conta da rua João Alfredo, palco de diversos problemas nos últimos meses. A rua da Cidade Baixa começou a ter a pintura intensificada, numa prévia de intervenções mais relevantes que serão aplicadas a partir do ano que vem. A nova João Alfredo (🔒) terá sua área para pedestres triplicada, forçando a redução da velocidade dos carros, além de contar com árvores e flores ao longo da via, conforme prevê o projeto apresentado ainda em 2017, dentro do conceito de “Ruas Completas”, que visa remodelar vias, melhorando a convivência e o espaço de todos que por ali trafegam. 

Outros links:


Esportes

O que era para ser uma noite de vitória razoavelmente tranquila, acabou se transformando em uma partida com bastante emoção, muitos gols e resultado ruim para o Grêmio. No fim, apesar de o Tricolor ter buscado a igualdade já no fim, o empate em 3 a 3 com a Chapecoense na Arena soou como dois pontos desperdiçados. E enquanto o rival jogava, o Inter viajou para Belo Horizonte, onde enfrenta o Cruzeiro na quarta-feira, pela semifinal da Copa do Brasil. A grande dúvida do técnico Odair Hellmann é quanto à situação do volante Rodrigo Lindoso, que apresentou boa recuperação, mas segue com escalação incerta para o confronto. 


Agenda

  • No Margs, a artista multimídia Vera Chaves Barcellos dá palestra sobre as referências transformadoras da imagem.
  • Sarau Elétrico de hoje, no Ocidente, é dos franceses. No microfone, Patrice Pauc, diretor geral da Aliança Francesa; na canja, Nina Rouge. 
  • Maria Tomaselli vai à PocketStore Livraria para autografar seu novo livro, ela se chama Azelene.
  • No Chapéu Acústico, em a musicalidade brasileiríssima da Tribo Brasil.

Você viu?

Uma iniciativa criada em maio para unir mulheres empreendedoras da Restinga, o populoso bairro da Zona Sul de Porto Alegre, superou as expectativas das organizadoras e deve fomentar uma série de iniciativas. O primeiro encontro das Empreendedoras Restinga S/A reuniu 80 mulheres e, de lá para cá, esta rede cresceu e já reúne 253 cadastradas. “Muitas não tinham cartão de visita, não utilizavam redes sociais. Aproveitamos para fazer o networking. O objetivo era fazer com que elas se fortalecessem e se indicassem. Eu mesma descobri serviços que não sabia que existiam”, afirmou a protética Roberta Coimbra, uma das criadoras do grupo. A história da Roberta e de outras mulheres que tocam negócios na Tinga e os próximos passos das empreendedoras foi contada em uma reportagem do Diário Gaúcho.