População de 60 anos ou mais supera a de crianças e adolescentes

Hoje, 7 de outubro de 2019, é o dia em que o Rio Grande do Sul passa a ter mais habitantes com 60 anos ou mais do que crianças e adolescentes de zero a 14 anos. A data é uma projeção da SeniorLab, uma consultoria de mercado focada em analisar o público mais maduro, baseada em dados Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O órgão do governo aponta que neste ano 18,19% da população do Estado está nessa faixa – índice bem acima dos 13,8% da população nacional. O RS é o primeiro estado do País em que ocorre essa virada histórica. De acordo com o IBGE, a mudança só ocorrerá na média nacional em 2031.
O fenômeno no RS também é o mais acelerado do País. Em 1940, apenas 4,1% da população tinha 60 anos ou mais. Em 2060, serão 35,8%. Até lá, o número de idosos quase dobra, para 3,9 milhões de pessoas. O fenômeno é consequência do aumento da expectativa de vida – hoje em 76 anos no Brasil e 78 anos no RS – e da queda no número de filhos – de 1,89 no País, e de 1,76 aqui no Estado.
Porto Alegre é o retrato desse novo quadro. O último censo do IBGE, em 2010, mostrou que a cidade ultrapassou o Rio de Janeiro e se tornou a Capital com a maior proporção de pessoas com 60 anos ou mais no total da população. E até que nos preparamos bem para a marca. A cidade é hoje a única Capital do País que possui o certificado Cidade Amiga do Idoso, um reconhecimento da Organização Mundial da Saúde (OMS) dado ao município em 2015 pelo conjunto de ações do poder público e da sociedade civil para o envelhecimento saudável.
Há, contudo, um movimento nacional para melhorar os índices da área. O Senado aprovou em julho a criação de uma versão brasileira do programa da OMS, também chamado de Cidade Amiga do Idoso, em que o objetivo é incentivar os municípios a adotarem medidas para o envelhecimento saudável da população. Cidades que aderirem ao programa vão ter prioridade para receber recursos do Fundo Nacional do Desenvolvimento Urbano, cujo dinheiro é destinado para as áreas de transporte, moradia, inclusão social e emprego.

Velhos, mas sem saúde – Essa virada traz consigo um desafio. Há, segundo o médico Alexandre Kalache, um dos maiores especialistas em envelhecimento no mundo, uma carência de políticas públicas eficazes para o amadurecimento da população – especialmente na saúde, na educação continuada e no preparo de profissionais de todas as áreas para atender o público mais velho. Kalache disse em entrevista ao jornal Zero Hora que o maior problema é na saúde, e não fica restrito à população pobre: cerca de 80% depende do SUS, que suporta mal esse grupo populacional. Para ele, reverter o quadro depende do combate ao sedentarismo, e de seguir lutando contra o tabagismo – lembrando que Porto Alegre volta e meia figura como a capital brasileira com o maior número de fumantes.


Você também precisa saber

Consumo – A pesquisa do Orçamento Familiar, divulgada na sexta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), confirmou que o Rio Grande do Sul tem um elevado custo de vida. Enquanto a despesa média mensal familiar no Brasil em 2018 ficou em 4.649,03 reais, no Sul o gasto médio é de 5.195,32 reais – o terceiro maior do país, atrás apenas do Distrito Federal e de São Paulo. Em nove anos os gastos familiares subiram 75%: no levantamento realizado entre 2008 e 2009, a despesa familiar média é de 2.962,40 reais. A pesquisa apontou que o maior gasto das famílias, na ordem, são com habitação, transporte e alimentação. Aqui registrou-se uma alteração: é a primeira vez que despesas com transporte ultrapassaram as despesas com alimentação.

Sarampo – Com objetivo de conter a circulação do vírus no país, começa hoje a campanha nacional de vacinação contra o sarampo. Crianças de seis meses a cinco anos, com o esquema vacinal incompleto, são o público-alvo da primeira etapa da campanha. A vacina estará disponível em todas as unidades de saúde de Porto Alegre. Neste ano, já houve mais de 5,4 mil casos da doença no país – e seis óbitos. O Rio Grande do Sul já registrou 13 casos neste ano, oito deles na Capital.

Conselho Tutelar – Com participação acima do esperado – mais de 43,7 mil eleitores, quase o triplo do último pleito – foram definidos os 50 novos conselheiros tutelares de Porto Alegre. Cada uma das dez microrregiões da Capital contará com cinco deles, que assumem o cargo em 10 de janeiro para um mandato de quatro anos – veja a lista dos eleitos. Ao longo do domingo, a procura acima do esperado causou transtornos em algumas regiões, como filas e falta de urnas e mesários, informou o Ministério Público.

Eleições municipais – Uma esquerda unida, com possivelmente PT, PCdoB e PSol numa mesma chapa, diante de uma direita fragmentada em diversas candidaturas. Este cenário que a Zero Hora projetou para as eleições municipais de Porto Alegre em 2020. Sem mais as ligações na eleição proporcional, o pleito deve registrar um aumento no número de candidatos ao Executivo, como forma de promover os postulantes à Câmara. Ainda que não tenha confirmado, o prefeito Nelson Marchezan (PSDB) deverá tentar buscar a reeleição, mas sem o vice, Gustavo Paim, cujo partido, o PP, rompeu com o governo. Ruy Irigaray (PSL), Any Ortiz (Cidadania) e Juliana Brizola (PDT) são outros que já encaminham suas pré-candidaturas, ao mesmo tempo em que outros partidos negociam com nomes – sejam próprios correligionários ou de filiados a outras siglas.

Outros links:

  • O preço da cesta básica recuou pela terceira vez consecutiva. Fechou setembro custando 458,29 reais, de acordo com o Dieese.
  • Evasão escolar: existem 35.870 estudantes matriculados no Ensino Médio com mais de 18 anos que não frequentam a escola no RS.
  • A Justiça renovou por cinco dias a prisão temporária do vereador André Carús (MDB). O político foi transferido para a Cadeia Pública.
  • O prefeito de Anta Gorda, Celso Casagrande (PDT), morreu aos 53 anos.
  • A Fundação Hospitalar Getúlio Vargas abriu concurso: são 90 vagas.
  • Hoje abrem as inscrições para o concurso do TJ-RS para oficial de Justiça e da Prefeitura de Porto Alegre para auditor fiscal.

Esportes

Foi um sábado de empates para a Dupla Gre-Nal no Brasileirão. Enquanto o Grêmio, antes de perder três jogadores por conta de convocações, ficou no 0 a 0 com o Corinthians, o Inter voltou do Mineirão com 1 a 1 contra o Cruzeiro – e muitas reclamações da arbitragem.

Pelas categorias de base, hoje será dia de clássico. Grêmio e Inter se enfrentam no primeiro jogo da final do Brasileirão de Aspirantes, às 18h. O jogo, que será em Caxias, terá transmissão ao vivo no SporTV.


Agenda

  • Hoje e amanhã tem sessão do espetáculo de teatro e dança Quando Você Me Toca, do grupo Tatá, de Pelotas, na Terreira da Tribo.
  • Aliás, começa hoje a primeira edição do Seminário de História do Teatro Gaúcho, que vai discutir a presença da arte em Porto Alegre dos anos 60. Será de 7 a 11 de outubro, das 14h às 17h, no Teatro de Arena.
  • Também amanhã começa uma mostra em homenagem ao cineasta carioca Hugo Carvana, diretor de Se Segura Malandro, na Sala Redenção.
  • Nesta segunda, o projeto Os Livros de Nossa Vida recebe, na CCMQ, o escritor Alcy Cheuiche e o jornalista Carlos Augusto Bissón.
  • Se tiver um tempinho, vale dar uma passada no TRT para conferir a exposição Meio Fio Vida de Cadeirante, de Jorge Aguiar. A mostra fica até o dia 29.
  • E programe-se: Esta semana tem, no Araújo Vianna, Bruno e Marrone, dobradinha com Marcelo Falcão e Maneva, e Roupa Nova.
  • E dia 8, o Iron Maiden traz à Arena seu Legacy Of The Beast Tour.

Você viu?

Houve um tempo em que Porto Alegre não fazia parte da rota dos grandes shows nacionais e internacionais. E Tom Jobim, um dos maiores músicos e compositores do Brasil, só tocou uma única vez na Capital: em 1986, em uma única apresentação no Theatro São Pedro. Pois agora veio ao público que o técnico de som Ricardo Krebs, já falecido, pegou uma fita e, sem o conhecimento do artista, gravou esta apresentação histórica. Eis que o registro pirata, agora convertido em um CD, reapareceu esta semana, 33 anos depois, no palco do mesmo Theatro São Pedro. A ex-gerente de programação do espaço cultural, Maria Isabel Locatelli, entregou a cópia nas mãos a Paulo e Daniel Jobim, filho e neto do músico. “Tô muito emocionado. Quero muito ouvir esse show”, afirmou Daniel Jobim em depoimento ao Jornal do Almoço.

Este texto faz parte da edição 13 da revista Parêntese, publicada em 15 de fevereiro de 2020.

A revista digital Parêntese é enviada todos os sábados aos assinantes premium do Matinal Jornalismo. 

Esta edição é excepcionalmente gratuita. Assine, apoie o jornalismo de Porto Alegre e receba todos os nossos produtos.

Receba as newsletters do Matinal! De segunda a sexta, trazemos as principais notícias de Porto Alegre e RS. Na quinta, enviamos uma agenda cultural completa por Roger Lerina. No sábado sai a Parêntese, com reportagens, entrevistas e análises exclusivas.