População de 60 anos ou mais supera a de crianças e adolescentes

Hoje, 7 de outubro de 2019, é o dia em que o Rio Grande do Sul passa a ter mais habitantes com 60 anos ou mais do que crianças e adolescentes de zero a 14 anos. A data é uma projeção da SeniorLab, uma consultoria de mercado focada em analisar o público mais maduro, baseada em dados Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O órgão do governo aponta que neste ano 18,19% da população do Estado está nessa faixa – índice bem acima dos 13,8% da população nacional. O RS é o primeiro estado do País em que ocorre essa virada histórica. De acordo com o IBGE, a mudança só ocorrerá na média nacional em 2031.
O fenômeno no RS também é o mais acelerado do País. Em 1940, apenas 4,1% da população tinha 60 anos ou mais. Em 2060, serão 35,8%. Até lá, o número de idosos quase dobra, para 3,9 milhões de pessoas. O fenômeno é consequência do aumento da expectativa de vida – hoje em 76 anos no Brasil e 78 anos no RS – e da queda no número de filhos – de 1,89 no País, e de 1,76 aqui no Estado.
Porto Alegre é o retrato desse novo quadro. O último censo do IBGE, em 2010, mostrou que a cidade ultrapassou o Rio de Janeiro e se tornou a Capital com a maior proporção de pessoas com 60 anos ou mais no total da população. E até que nos preparamos bem para a marca. A cidade é hoje a única Capital do País que possui o certificado Cidade Amiga do Idoso, um reconhecimento da Organização Mundial da Saúde (OMS) dado ao município em 2015 pelo conjunto de ações do poder público e da sociedade civil para o envelhecimento saudável.
Há, contudo, um movimento nacional para melhorar os índices da área. O Senado aprovou em julho a criação de uma versão brasileira do programa da OMS, também chamado de Cidade Amiga do Idoso, em que o objetivo é incentivar os municípios a adotarem medidas para o envelhecimento saudável da população. Cidades que aderirem ao programa vão ter prioridade para receber recursos do Fundo Nacional do Desenvolvimento Urbano, cujo dinheiro é destinado para as áreas de transporte, moradia, inclusão social e emprego.

Velhos, mas sem saúde – Essa virada traz consigo um desafio. Há, segundo o médico Alexandre Kalache, um dos maiores especialistas em envelhecimento no mundo, uma carência de políticas públicas eficazes para o amadurecimento da população – especialmente na saúde, na educação continuada e no preparo de profissionais de todas as áreas para atender o público mais velho. Kalache disse em entrevista ao jornal Zero Hora que o maior problema é na saúde, e não fica restrito à população pobre: cerca de 80% depende do SUS, que suporta mal esse grupo populacional. Para ele, reverter o quadro depende do combate ao sedentarismo, e de seguir lutando contra o tabagismo – lembrando que Porto Alegre volta e meia figura como a capital brasileira com o maior número de fumantes.


Você também precisa saber

Consumo – A pesquisa do Orçamento Familiar, divulgada na sexta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), confirmou que o Rio Grande do Sul tem um elevado custo de vida. Enquanto a despesa média mensal familiar no Brasil em 2018 ficou em 4.649,03 reais, no Sul o gasto médio é de 5.195,32 reais – o terceiro maior do país, atrás apenas do Distrito Federal e de São Paulo. Em nove anos os gastos familiares subiram 75%: no levantamento realizado entre 2008 e 2009, a despesa familiar média é de 2.962,40 reais. A pesquisa apontou que o maior gasto das famílias, na ordem, são com habitação, transporte e alimentação. Aqui registrou-se uma alteração: é a primeira vez que despesas com transporte ultrapassaram as despesas com alimentação.

Sarampo – Com objetivo de conter a circulação do vírus no país, começa hoje a campanha nacional de vacinação contra o sarampo. Crianças de seis meses a cinco anos, com o esquema vacinal incompleto, são o público-alvo da primeira etapa da campanha. A vacina estará disponível em todas as unidades de saúde de Porto Alegre. Neste ano, já houve mais de 5,4 mil casos da doença no país – e seis óbitos. O Rio Grande do Sul já registrou 13 casos neste ano, oito deles na Capital.

Conselho Tutelar – Com participação acima do esperado – mais de 43,7 mil eleitores, quase o triplo do último pleito – foram definidos os 50 novos conselheiros tutelares de Porto Alegre. Cada uma das dez microrregiões da Capital contará com cinco deles, que assumem o cargo em 10 de janeiro para um mandato de quatro anos – veja a lista dos eleitos. Ao longo do domingo, a procura acima do esperado causou transtornos em algumas regiões, como filas e falta de urnas e mesários, informou o Ministério Público.

Eleições municipais – Uma esquerda unida, com possivelmente PT, PCdoB e PSol numa mesma chapa, diante de uma direita fragmentada em diversas candidaturas. Este cenário que a Zero Hora projetou para as eleições municipais de Porto Alegre em 2020. Sem mais as ligações na eleição proporcional, o pleito deve registrar um aumento no número de candidatos ao Executivo, como forma de promover os postulantes à Câmara. Ainda que não tenha confirmado, o prefeito Nelson Marchezan (PSDB) deverá tentar buscar a reeleição, mas sem o vice, Gustavo Paim, cujo partido, o PP, rompeu com o governo. Ruy Irigaray (PSL), Any Ortiz (Cidadania) e Juliana Brizola (PDT) são outros que já encaminham suas pré-candidaturas, ao mesmo tempo em que outros partidos negociam com nomes – sejam próprios correligionários ou de filiados a outras siglas.

Outros links:

  • O preço da cesta básica recuou pela terceira vez consecutiva. Fechou setembro custando 458,29 reais, de acordo com o Dieese.
  • Evasão escolar: existem 35.870 estudantes matriculados no Ensino Médio com mais de 18 anos que não frequentam a escola no RS.
  • A Justiça renovou por cinco dias a prisão temporária do vereador André Carús (MDB). O político foi transferido para a Cadeia Pública.
  • O prefeito de Anta Gorda, Celso Casagrande (PDT), morreu aos 53 anos.
  • A Fundação Hospitalar Getúlio Vargas abriu concurso: são 90 vagas.
  • Hoje abrem as inscrições para o concurso do TJ-RS para oficial de Justiça e da Prefeitura de Porto Alegre para auditor fiscal.

Esportes

Foi um sábado de empates para a Dupla Gre-Nal no Brasileirão. Enquanto o Grêmio, antes de perder três jogadores por conta de convocações, ficou no 0 a 0 com o Corinthians, o Inter voltou do Mineirão com 1 a 1 contra o Cruzeiro – e muitas reclamações da arbitragem.

Pelas categorias de base, hoje será dia de clássico. Grêmio e Inter se enfrentam no primeiro jogo da final do Brasileirão de Aspirantes, às 18h. O jogo, que será em Caxias, terá transmissão ao vivo no SporTV.


Agenda

  • Hoje e amanhã tem sessão do espetáculo de teatro e dança Quando Você Me Toca, do grupo Tatá, de Pelotas, na Terreira da Tribo.
  • Aliás, começa hoje a primeira edição do Seminário de História do Teatro Gaúcho, que vai discutir a presença da arte em Porto Alegre dos anos 60. Será de 7 a 11 de outubro, das 14h às 17h, no Teatro de Arena.
  • Também amanhã começa uma mostra em homenagem ao cineasta carioca Hugo Carvana, diretor de Se Segura Malandro, na Sala Redenção.
  • Nesta segunda, o projeto Os Livros de Nossa Vida recebe, na CCMQ, o escritor Alcy Cheuiche e o jornalista Carlos Augusto Bissón.
  • Se tiver um tempinho, vale dar uma passada no TRT para conferir a exposição Meio Fio Vida de Cadeirante, de Jorge Aguiar. A mostra fica até o dia 29.
  • E programe-se: Esta semana tem, no Araújo Vianna, Bruno e Marrone, dobradinha com Marcelo Falcão e Maneva, e Roupa Nova.
  • E dia 8, o Iron Maiden traz à Arena seu Legacy Of The Beast Tour.

Você viu?

Houve um tempo em que Porto Alegre não fazia parte da rota dos grandes shows nacionais e internacionais. E Tom Jobim, um dos maiores músicos e compositores do Brasil, só tocou uma única vez na Capital: em 1986, em uma única apresentação no Theatro São Pedro. Pois agora veio ao público que o técnico de som Ricardo Krebs, já falecido, pegou uma fita e, sem o conhecimento do artista, gravou esta apresentação histórica. Eis que o registro pirata, agora convertido em um CD, reapareceu esta semana, 33 anos depois, no palco do mesmo Theatro São Pedro. A ex-gerente de programação do espaço cultural, Maria Isabel Locatelli, entregou a cópia nas mãos a Paulo e Daniel Jobim, filho e neto do músico. “Tô muito emocionado. Quero muito ouvir esse show”, afirmou Daniel Jobim em depoimento ao Jornal do Almoço.