Preço da gasolina derruba inflação em Porto Alegre

Como já apontava o indicador de prévia da inflação, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), divulgado ontem pelo IBGE apontou queda de preços na Região Metropolitana de Porto Alegre no mês de junho. Enquanto o IPCA nacional apontou 0,01% de inflação, Porto Alegre registrou uma deflação – redução nos preços – de 0,41%, o menor índice em todas as regiões pesquisadas.

A inflação do porto-alegrense está em 1,97% no ano, abaixo da média nacional, que é de 2,23%. Só a região metropolitana de Curitiba (1,81%) e as cidades de Brasília (1,66%) e Goiânia (1,82%), tiveram altas de preço menores neste período de seis meses.
O principal item que jogou o índice para baixo em Porto Alegre foi o preço da gasolina, que caiu 4,66% de maio para junho. A dúvida é se a queda de preços persistirá em julho: ao mesmo tempo que a Petrobras anunciou anteontem uma nova queda no valor do combustível nas refinarias, os preços começaram a subir em postos da Capital. Segundo apuroua jornalista Giane Guerra (acesso restrito a assinantes da GaúchaZH), os empresários do setor estariam repondo as margens de lucro, derrubada em razão da competição entre os postos.


Você também precisa saber

Reforma da Previdência – A bancada gaúcha deu amplo apoio à reforma da Previdência nesta quarta-feira. Dos 31 parlamentares do RS, 22 votaram a favor e nove foram contra. Foi um proporção semelhante ao placar geral da Câmara. Dentre os votos favoráveis, chamou a atenção o de Marlon Santos, do PDT, cuja bancada havia sido orientada a votar contra. No que depender da vontade de alguns dos principais nomes trabalhistas, ele poderá ser expulso do partido devido ao voto. Outra que desobedeceu a determinação do partido foi Liziane Bayer, do PSB. O texto-base, é bom lembrar, seguirá para votação em segundo turno na Câmara e, se aprovado, vai para apreciação do Senado. Neste link é possível conferir como cada parlamentar posicionou-se ontem à noite.

Policiais mortos – Paradoxalmente, enquanto o número de assassinatos no Rio Grande do Sul caiu para um nível do início da década, a quantidade de policiais militares mortos em serviço no Estado neste ano já é a maior dos últimos cinco anos. São 12 até agora, uma cifra que cresceu ontem após a morte do soldado Gustavo de Azevedo Barbosa Júnior, de 26 anos, em Porto Alegre – ao longo do dia, a Brigada Militar prendeu dois suspeitos do crime. No mesmo período, outros três policiais civis perderam a vida. “O que a gente observa é que esses criminosos estão reagindo à abordagem e comumente armados”, comentou o comandante da BM, Mário Ikeda, em entrevista à Rádio Gaúcha.

Trabalho – No ano passado, o Diário Gaúcho foi até a fila do Sine e traçou o perfil de sete pessoas que estavam em busca de um emprego. Um ano depois, o jornal foi atrás delas. Quatro entrevistados foram localizados e deles, apenas um está trabalhando, como carpinteiro. Outro até conseguiu uma vaga de operador em um supermercado pelo Sine, mas acabou desistindo após um mês e meio de trabalho. No período entre uma reportagem e outra foram criadas apenas 12 mil vagas de emprego formal em todo o Rio Grande do Sul.

Outros links:

  • A novela dos cães comunitários do Jardim do Salso continua: a Justiça suspendeu temporariamente a remoção das casinhas na calçada.
  • A Prefeitura mais uma vez removeu famílias da Ocupação Baronesa, no bairro Menino Deus. O casarão havia sido desocupado em junho, mas voltou a ser invadido por sem-teto em razão do frio.
  • Porto Alegre arrecadou 1 bilhão de reais em ISS nos últimos 12 meses. A arrecadação per capita da Capital é de 669,92 reais.
  • Após reunião com o ministro Paulo Guedes, o governador Eduardo Leite (PSDB) disse esperar que a adesão ao RRFocorra ainda este ano.
  • A Brigada Militar apreendeu ontem três toneladas de maconha no bairro Humaitá.
  • Novo golpe: criminosos estão se vestindo de padre e imitando a voz do arcebispo metropolitano para aplicar golpes.

Esportes

Depois de tanta espera, a reestreia da Dupla na temporada não foi boa. Enquanto o Grêmio empatou em 1 a 1 com o Bahia na Arena, o Inter não esboçou reação e perdeu por 1 a 0 para o Palmeiras, em São Paulo. Agora, ambos precisarão vencer nos jogos de volta (os Colorados ainda por dois gols de diferença) para avançar às semifinais da Copa do Brasil.

Ah, e o atacante Everton, que havia feito suspense com relação a uma possível saída, admitiu que recebeu propostas, mas não houve nenhum negócio fechado e, por ora, ele segue no Grêmio.


Agenda

  • Em uma semana de homenagens a João Gilberto, uma das nossas sugestões de hoje é ir ao Café Fon-Fon ouvir o projeto Bandopia(n)do, que traz um repertório de releituras que vão do choro à bossa nova.
  • O jovem violonista Miguel Besnos apresenta recital que, além de música brasileira, traz a energia espanhola e cubana ao Teatro Bruno Kiefer.
  • Há dois tributos bacanas hoje: no Espaço Cultural 502, à Elis Regina, e na Quinta Clássica, do Art & Bar, à banda Oasis.
  • Julio Herrien Quarteto faz a noite no Jazz Week do London Pub.
  • Cecé Pássaro apresenta o show Quero Ver Tudo Virar, na Casa Azul.
  • Confrimado: no dia 25 agosto, Adriana Calcanhoto vem à Capital para a turnê do novo álbum Margem.
  • Mais agenda? Assine a newsletter do Roger Lerina, enviada todas as quintas com um roteiro dos principais eventos culturais da semana.

Você viu?

Ciro Gomes (PDT), ex-governador do Ceará e ex-candidato à Presidência, esteve em Porto Alegre ontem e participou do programa Jornal Gente, da Rádio Bandeirantes. Na entrevista fez críticas à Reforma da Previdência e à falta de projetos do governo Bolsonaro para reativar a economia. Em dois momentos citou Grêmio e Inter: elogiou o exemplo dos times em ajudar moradores de rua na semana passada, e também usou a metáfora futebolística pra fazer críticas ao ex-juiz Sergio Moro. “O que acharia de um juiz que no sábado, na véspera do Gre-Nal, fosse lá na concentração, conversasse com o jogador e mandasse ele cair na área, que ele garantiria o pênalti? Isso não dá vitória nem ao Internacional, isso destrói o futebol. Nenhum país do mundo sério admitiria a imoralidade insanável de um juiz condenar um político, e olha que o Lula não tem nada de inocente, mas mesmo o pior bandido, e não é o caso, tem direito a ser julgado de forma isenta”, afirmou. O áudio está disponível no site da Band, mas também é possível assistir em vídeo pelo Facebook.