Preço da gasolina sobe pela 11ª semana consecutiva no RS

Divulgada no início desta semana, a pesquisa semanal de preço dos combustíveis da Agência Nacional do Petróleo apontou algo que o motorista gaúcho já sabe bem: o preço da gasolina segue nas alturas e não parece dar sinais de recuo. Os dados coletados entre o dia 28 de abril e 4 de maio apontam 11 semanas consecutivas de alta no preço do combustível no Estado.

O Rio Grande do Sul foi um dos 17 estados que registraram alta no preço entre o fim de abril e o início de maio. A Matinal pesquisou junto à ANP: somos o quinto com o maior preço médio, atrás apenas de Rio de Janeiro, Acre, Piauí e Minas Gerais. Neste levantamento, feito em 360 postos, o preço médio nas revendas no RS é de R$ 4,777.

O preço mínimo encontrado foi de R$ 4,369 por litro, em um posto de Passo Fundo. O valor mais caro estava em Bagé: R$ 5,299. Em Porto Alegre, o preço médio no mesmo período é de R$ 4,814. Desde o ano passado, os crescimentos têm ficado bem acima da inflação. Aliás, se você tiver um tempinho (mais especificamente 15 minutos), recomendamos a leitura deste texto da BBC, que explica por que a gasolina custa o que custa no Brasil.

Pesquisa de preço – Para ajudar o consumidor a encontrar combustível pelo menor preço, a GaúchaZH fez um levantamento dos preços em 20 postos das Zonas Leste, Norte, Sul e no Centro Histórico da Capital. A gasolina mais barata foi encontrada a R$ 4,56 no posto Caiman, da Avenida João Pessoa, e também em um posto da bandeira Ipiranga, na Avenida Bento Gonçalves.


Você também precisa saber

Eleições 2020 – Levantamento Methodus/Foca apontou que os deputados estaduais Sebastião Melo (MDB) e Juliana Brizola (PDT) têm maiores chances de levar votos para a Prefeitura de Porto Alegre nas eleições de 2020. Dos oito nomes sondados, o atual prefeito, Nelson Marchezan Jr. (PSDB), apareceu em último. Realizada em abril, a pesquisa aponta que 35,5% dos eleitores se dispõem a anular o voto.

Trensurb – Em reunião ontem, o Conselho do Programa de Parcerias de Investimentos do governo federal definiu 59 projetos de concessão e desestatização. Foi incluída na lista a privatização do Trensurb. Enquanto isso, os servidores da empresa tentam junto ao sindicato negociar um reajuste salarial. A direção da empresa colocou na mesa duas propostas: ou a manutenção de cláusulas sociais sem reajuste, ou um reajuste de 20%, mas alterando em direitos dos funcionários. Os servidores decidiram que irão apresentar uma contraposta na próxima semana, quando também debaterão se entram em estado de greve.

Racismo no Futebol – Um dia após abordarmos aqui na Matinal a questão do racismo nos estádios, um novo caso veio à tona. Segundo o Observatório da Discriminação Racial no Futebol, o STJD deverá apresentar uma denúncia contra o Juventude por um incidente na partida contra o Botafogo, em 11 de abril, pela Copa do Brasil. No jogo, o volante Gustavo Bochecha foi vítima de injúria racial por parte de um torcedor do clube de Caxias do Sul. O torcedor pode ser suspenso por no mínimo 720 dias e o clube poderá receber uma multa de até R$ 100 mil. O problema do racismo não se restringe a um ou outro clube. Ontem, um torcedor do Peñarol foi filmado imitando um macaco para flamenguistas antes de a bola rolar em partida válida pela Libertadores, em Montevidéu.  

Obituário – O jornalista Luis Fernando Gracioli faleceu nesta quarta-feira, aos 52 anos, em decorrência de complicações de um câncer. Gracioli foi professor do curso de jornalismo da PUCRS, entre 1994 e 2002, e teve papel importante na implantação e desenvolvimento dos negócios do Grupo RBS na internet. Em Zero Hora, foi o editor responsável pela criação do site da ZH Digital, versão do jornal que funcionou entre 1996 e 2000. Participou ainda da implantação do portal ClicRBS. Radicado em São Paulo desde 2012, Gracioli era sócio-diretor das empresa Clave Consultoria e da 3Red. O jornalista também se tornou personagem das crônicas do colunista David Coimbra, que o chamava pelo apelido Professor Juninho. Para homenageá-lo, David Coimbra postou ontem à noite o texto Meu amigo morreu.

Outros links:


Esportes

Desta vez o Grêmio não deu mole e, ao vencer a Universidad Católica por 2 a 0 na Arena, garantiu-se nas oitavas de final da Libertadores como segundo colocado do Grupo H. Igualmente classificado, o Inter viveu um dia mais calmo. Fora de campo, o clube reforça expectativas e cuidados com um atacante da base, que inicia sua trajetória com a camisa colorada: Enzo, o filho de Fernandão.


Agenda

  • Estreou ontem na Netflix a quarta temporada da popular série Lucifer.
  • A vencedora do Grammy Latino Anaadi canta e conversa com Mimmo FerreiraPedrinho Figueiredo no foyer do Theatro São Pedro.
  • Para quem quer dançar, a opção é o Noite de Climão da Letrux. Ela toca no Opinião o disco eleito o melhor em 2017 no Prêmio Multishow.
  • A experiência do dia é o Coração de Búfalo: uma banda tocando durante uma peça, ou uma encenação que acontece durante um show.
  • A música jamaicana – ou seja, o melhor do ska e do reggae – enche os ouvidos de quem for ao Espaço 512. Lá toca o Instituto Radiola.
  • Hoje tem o rap do Raffa Moreira no JAM club.
  • E para fechar a agenda mais musical da Matinal até hoje, Thiago Ramil toca no Café Fon Fon; Nani Medeiros, no Ocidente.
  • Mas a quinta não é só de música. Duas exposições abrem na Capital: uma inspirada em Frida Khalo; outra, do artista plástico Marcos Nizolli.

Você viu?

Na sexta-feira passada divulgamos aqui na Matinal do fechamento do Mariu’s, tradicional restaurante que, por 43 anos, funcionou na região conhecida como “Esquina Maldita”, na avenida Osvaldo Aranha próximo a Rua Sarmento Leite. O link para a matéria inclusive foi o mais clicado do dia. Nesta semana, a GaúchaZH achou uma forma bacana de prestar uma homenagem ao bar e seus frequentadores: pediu ao proprietário Mário Fernandes, de 97 anos, para ensinar como fazer o bolinho de bacalhau, um dos pratos de maior sucesso do Mariu’s. A receita está disponível em vídeo.