Prefeito Marchezan e vice Paim selam rompimento no Paço

A crise entre o PP e o PSDB de Porto Alegre se agravou na última semana. Depois das ameaças na gestão Nelson Marchezan Junior, que é tucano, de exoneração de mais de 50 cargos comissionados (CCs) indicados pelo PP – houve oito exonerações publicadas no Diário Oficial na sexta – o vice-prefeito Gustavo Paim, que é progressista, selou o rompimento. De férias nos Estados Unidos, Paim afirmou na última sexta nas redes sociais que a medida foi “desleal”, “não republicana” e tomada “no auge da falta de respeito”.
Para Paim, a decisão serve para “tentar aniquilar um partido que ajudou a ganhar a eleição” e fortalecer o PSDB. A executiva progressista também foi pra cima, e reclamou, em nota, da contínua falta de diálogo. Também acusou o prefeito de agir como um “reizinho” de uma “monarquia absolutista”. O PP esperava apoio dos tucanos para uma chapa encabeçada por Paim na eleição de 2020. O vereador Moisés Barboza, presidente do PSDB, rebateu, dizendo que “um partido que se considera aniquilado sem cargos, também parece ser sem princípios”.

Contexto – Os ruídos entre os dois partidos já têm tempo, mas se acentuaram em dois eventos recentes. Primeiro, no caso do projeto de lei, proposto por Marchezan aprovado na Câmara, que mudou a base de cálculo do IPTU. Nele, os progressistas foram contra, e, para o PP, o prefeito quebrou um compromisso assumido em campanha. Depois, um biólogo filiado ao PP entrou com um pedido de impeachment contra o prefeito. Embora a admissibilidade tenha sido rejeitada, parlamentares progressistas se uniram à oposição e apoiaram a abertura de uma CPI proposta pelo vereador Roberto Robaina (PSOL).
Para Marchezan, o pedido de impeachment foi arquitetado pelos líderes dos progressistas. Esse foi, aliás, a gota d’água para exoneração – no dia em que assinou a demissão, o prefeito afirmou que “se eu ou o governo somos corruptos, e eles em três anos não indicaram no que, eles não podem ficar aqui.” O vice-prefeito volta de férias no próximo dia 11, a trabalhar em um gabinete sem assessores.


Você também precisa saber

Extorsão – Começaram por prostitutas e travestis. Depois, ladrões e traficantes e, mais tarde, a extorsão chegou ao comércio. Foi dessa forma, escalonada, que atuou a facção criminosa desmantelada na semana passada pela Polícia Civil. Vítimas – entre as quais proprietários de farmácias, estéticas, ferragens e bares – disseram que eram obrigados a pagar até 400 reais por semana aos criminosos, uma espécie de pedágio. Com o grupo, a Polícia apreendeu três veículos de luxo, além de um fuzil e drogas. Dos 16 mandados de prisão expedidos, a operação policial conseguiu cumprir nove, após mobilizar 250 agentes na sexta-feira.

Movimento estudantil – O presidente Jair Bolsonaro (PSL) assinou na sexta-feira medida provisória que cria a carteira estudantil digital, um documento utilizado para a obtenção de meia entrada em eventos culturais. Durante cerimônia do anúncio, não faltaram provocações aos adversários do presidente, que disse que a medida visa combater o “socialismo nas universidades”. Atualmente, uma lei garante a emissão do documento apenas à UNE, Ubes e à ANPG, sendo fonte importante de receita dessas entidades. A medida foi criticada por entidades representativas dos estudantes. “O único intuito do governo Bolsonaro é fazer com que as instituições não tenham mais caixa para organizarem as mobilizações em oposição ao governo”, afirmou Vitória Cabreira, diretora da União Gaúcha dos Estudantes (UGES).

Imprensa e sindicalismo – Em um post publicado no Facebook, o ex-prefeito José Fortunati declarou ter sido censurado pelo Sindicato dos Bancários de Porto Alegre (SindBancários). Fortunati, que foi presidente da instituição entre 1984 e 1986, afirmou que teve seu nome vetado para uma participação em uma edição especial do programa Esfera Pública, da Rádio Guaíba. O programa, que terá ainda a presença dos petistas Olívio Dutra e Tarso Genro, será transmitido esta tarde diretamente da Casa dos Bancários para celebrar o aniversário de 40 anos da greve realizada pela categoria em 1979. Ontem à noite, o gerente geral da Guaíba, Nando Gross, afirmou que a questão foi superada: o presidente do Sindibancários, Everton Gimenez, negou qualquer veto à presença do ex-prefeito, e Fortunati participará do programa.

Outros links:

  • A chuva provocou o cancelamento do ato contra cortes na educação no sábado. Ainda assim, centenas de manifestantes foram até a Redenção e se depararam com um grande contingente de militares: eles haviam reservado a área do Monumento ao Expedicionário para o 7 de setembro.
  • O Jornal do Comércio compilou em um vídeo todas as 42 charges da exposição Independência e Risco, censurada pela Câmara.
  • A deputada Any Ortiz foi lançada como pré-candidata a prefeita de Porto Alegre pelo partido Cidadania. Eleição pode ter seis mulheres candidatas.
  • O general Hamilton Mourão (PRTB) assumiu interinamente a Presidência. Na quinta-feira, já como vice-presidente, deve participar de uma reunião-almoço (🔒) com empresários em Porto Alegre.
  • E mesmo com tempo ruim, o Acampamento Farroupilha encheu ontem.

Esportes

Antes de focar apenas na Copa do Brasil, o que acontece a partir de hoje, quando viaja a Curitiba, o Inter escalou reservas e venceu o São Paulo pelo Brasileirão. Pela mesma competição, o Grêmio foi a Belo Horizonte e aplicou uma goleada no Cruzeiro, ontem pela manhã. O único ponto ruim do dia foi a possível lesão de Pedro Geromel, que será reavaliado.

Mas se os resultados foram positivos na Série A, o mesmo não aconteceu nos dois jogos decisivos da Série C, no sábado. O Ypiranga empatou com o Confiança e o São José perdeu para o Sampaio Corrêa. Ambos foram eliminados e ficarão mais um ano na terceira divisão. Hoje o Juventude decide a vaga, contra o Imperatriz.


Agenda

  • A 2ª Maluca do Ocidente recebe os recifences do Mundo Livre S/A.
  • Hoje é dia de fado com Nani Medeiros, no Amo.Te Lisboa.
  • Segunda e terça o espetáculo Cunhãs estará na Terreira da Tribo. A peça propõe um diálogo entre mulheres por meio da evocação de conversas entre Malala, Frida, Domitila de Chungara e Maria da Penha.
  • O romance A cidade sitiada, de Clarice Lispector, será a obra do Clube de Leitura de hoje, no Ling. Quem conduz é Kathrin Rosenfield.
  • E programe-se: quinta tem Madeleine Peyroux no Araújo Vianna.
  • Aliás, Xuxa, a rainha dos baixinhos (sim, a própria!) vem para Porto Alegre em outubro apresentar seu Xuxa Xou. A venda de ingressos abre hoje.

Você viu?

A Mina Guaíba, projeto que prevê a construção da maior mina de carvão mineral a céu aberto do Brasil na Região Metropolitana de Porto Alegre, foi tema de uma reportagem publicada neste sábado na Folha de S.Paulo. A matéria explica como funcionaria a mina, os investimentos que traria ao Estado, inclui dados sobre o uso do carvão na matriz energética no Brasil e no mundo e discute seus riscos ambientais. O texto destaca que o próprio Secretário do Meio Ambiente e Infraestrutura do RS, Arthur Lemos, é cauteloso a tratar do projeto: “É um tema que nos preocupa, especialmente por uma possível associação com o que está acontecendo na Amazônia”.