Roger Lerina: Recomendações da Semana

Gil Jardim à frente da OCAM. Foto: Marcelo Macauê/Divulgação

DISCO

Sons Sobre Tons | Orquestra de Câmara da ECA/USP (OCAM)

Um recorte interessante da cena de compositores de música de concerto de São Paulo está reunido no álbum Sons Sobre Tons – Criações Musicais Sobre Ideias Visuais (Tratore, R$ 30, em média), da Orquestra de Câmara (OCAM) da Escola de Comunicação e Artes (ECA) da Universidade de São Paulo (USP). A primeira parte do disco, gravada em 2016, traz obras de Alexandre Lunsqui e Valéria Bonafé. A outra parte, de 2019, mostra os vencedores do Concurso de Composição Musical Tomie Ohtake, promovido em 2019: Wellington Gonçalves, Paulina Łuciuk e Yugo Sano Mani. Com direção, regência e produção de Gil Jardim, o CD reúne peças de música contemporânea de vanguarda, que propõem um diálogo entre sons e imagens. Três dessas composições extremamente visuais foram inspiradas em pinturas da artista japonesa naturalizada brasileira Tomie Ohtake (1913 – 2015), reproduzidas no encarte do disco.

O disco pode ser comprado aqui.

CINEMA

Cena do filme “Quando as Luzes das Marquises se Apagam”. Foto: É Tudo Verdade/Divulgação

É Tudo Verdade online

O Itaú Cultural está promovendo até 5 de abril duas mostras de cinema online com filmes premiados no festival É Tudo Verdade, que estarão disponíveis no site do instituto. A primeira, intitulada A Experiência Cinematográfica, oferece ao público cinco filmes brasileiros que marcaram a história do festival – e cujo papel principal é o próprio cinema: Cinemagia, Cine Mambembe – O Cinema Descobre o Brasil, Cine São Paulo, O Homem da Cabine e Quando as Luzes das Marquises se Apagam.

A segunda mostra faz uma retrospectiva dos 25 anos do É Tudo Verdade, exibindo ótimos filmes premiados nas primeiras edições do festival: A Pessoa É para o que Nasce (direção de Roberto Berliner), Nós que Aqui Estamos por Vós Esperamos (Marcelo Masagão), A Negação do Brasil (Joel Zito Araújo) e Rocha que Voa (Eryk Rocha). É tudo verdade e é tudo gratuito.

MÚSICA

No Meu Canto

Com o desafio de promover a cultura e incentivar as pessoas para que fiquem em casa neste momento de isolamento social, o Instituto de Cultura da PUCRS convidou jovens artistas do Rio Grande do Sul para integrarem uma programação de apresentações que rolam sempre às quintas-feiras via lives, no perfil do Instagram da instituição: @pucrscultura. A série, chamada No Meu Canto, teve início nesta quinta, às 19h, com o cantor, compositor e poeta Pedro Cassel.

Os próximos artistas convidados são as duplas Paola Kirst e Pedro Borghetti (2/4) e Glau Barros e Rafa Rodrigues (9/4), o compositor e intérprete Juliano Guerra (16/4) e a violinista, compositora e pesquisadora Clarissa Ferreira (23/4).

Este texto faz parte da edição 14 da revista Parêntese, publicada em 29 de fevereiro de 2020.

A revista digital Parêntese é enviada todos os sábados aos assinantes premium do Matinal Jornalismo. 

Para receber a próxima edição, assine o Matinal. Assim você apoia o jornalismo de Porto Alegre e receba todos os nossos produtos.

Receba as newsletters do Matinal! De segunda a sexta, trazemos as principais notícias de Porto Alegre e RS. Na quinta, enviamos uma agenda cultural completa por Roger Lerina. No sábado sai a Parêntese, com reportagens, entrevistas e análises exclusivas.